25 a 28 de Outubro de 2023 - Grão Mogol - MG
Category

Sem categoria

Turismo Verde em Minas Gerais

Estado pleno em áreas verdes, onde a natureza caprichou muitíssimo, cursos d´água e cadeias de montanhas majestosas, Minas Gerais é o lugar perfeito para quem está à procura de experiências envolvendo o turismo de natureza e as atividades ao ar livre.  

O estado abriga três diferentes biomas, milhares de cachoeiras, além de lagos, rios, grutas, cavernas e estâncias hidrominerais, que atraem de milhões de visitantes todos os anos.  

No portfólio de atrativos naturais de Minas estão 19 parques estaduais, oito nacionais, quatro sítios reconhecidos como Patrimônio Cultural da Humanidade e a única cordilheira do Brasil, a Cordilheira do Espinhaço, uma potência que acaba de ganhar o status de destino turístico oficial. Diante dessa variedade, o visitante pode realizar inúmeras trilhas e passeios, percorrendo os trechos com bicicletas, veículos 4×4, motos, caminhadas e até mesmo barcos.  

Quem esteve na última edição do ABETA SUMMIT em Grão Mongol, teve a oportunidade vivenciar algumas dessas experiências mineiras. Já para quem quer programar a próxima viagem podemos citar alguns atrativos imperdíveis e ainda pouco explorados como o Parque do Peruaçu, os Cânions do Jequitinhonha (no curso da Cordilheira do Espinhaço, que também merece visita urgente), as praias fluviais às margens do Rio São Francisco, e o Geoparque do Circuito das Águas, que será o primeiro geoparque líquido da Unesco. Isso para não ficarmos nos clássicos, que, claro, merecem visita também: Capitólio, Serras do Cipó, Ibitipoca e da Canastra. 

Sem contar as opções de turismo de lazer, por meio de parques e balneários sob gestão da CODEMGE (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais), que administra a manutenção e a conservação da infraestrutura de empreendimentos em Araxá, Cambuquira, Caxambu, Conceição do Rio Verde, Juiz de Fora, Poços de Caldas e Tiradentes. Garantindo uma visita para guardar na memória. 

E para manter o compromisso de preservação do meio ambiente no estado, o Governo de Minas trabalha na construção do Plano de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável, também conhecido como Plano Turismo Verde. O objetivo é estabelecer políticas públicas que sejam sustentáveis e gerem emprego e renda para os mineiros e para quem nos visita. 

 Vem pra Minas! 

Prêmio Abeta Brasil Natural

Durante o Congresso, foi feita a entrega do Prêmio Abeta Brasil Natural, que contempla os destaques, entre os associados, nas categorias: Sustentabilidade, Inovação e Segurança. Além disso também foram concedidos os prêmios nas categorias Novato e na categoria Acessibilidade, que estreou esse ano.

Os vencedores deste ano foram:

Segurança: Bikers Rio Pardo Inovação: MSV Adventure Sustentabilidade: Estância Mimosa Novato: Aventura Eco Brasil Acessibilidade: Rede dos Sonhos (hour concours) e Asteca.

Abeta Summit reuniu mais de 70 palestrantes debatendo o futuro do turismo de natureza

Abeta Summit 2023 debate o futuro do turismo de natureza no Brasil

As perspectivas para o futuro do turismo de natureza do Brasil pautaram os principais debates do Abeta Summit 2023 – 20º Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura, considerado o principal encontro nacional do segmento. A edição deste ano ocorreu de 25 a 28 de outubro no município de Grão Mogol, colocando em evidência a Cordilheira do Espinhaço, a maior cadeia de montanhas do país (a segunda maior da América Latina) e patrimônio reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera.

Durante os quatro dias do evento, representantes do governo, empresários, especialistas do setor e viajantes falaram sobre o tema “Redescobrindo o Brasil, novos destinos, novas oportunidades”, destacando roteiros fora dos grandes centros e projetos turísticos que atuam para a transformação econômica e social do país. Também foram abordadas questões como os desafios para a redução das emissões de carbono, a preservação dos geoparques brasileiros e o uso de inteligência artificial no turismo.

Foram mais de 52 horas de conversas, oficinas e mesas de negócios, além de espaço para apreciar a gastronomia local e visitas guiadas aos principais pontos da região, como o município de Botumirim, internacionalmente conhecido pela observação de pássaros, por ser o único lugar no mundo onde se pode avistar a rara espécie rolinha-do-planalto. “ A Cordilheira do Espinhaço tem uma quantidade imensa de paisagens cenográficas e conta com um projeto de desenvolvimento de seu território. Então a Abeta se vê como uma entidade de vanguarda, que ajuda a colocar este lugar em evidência no cenário nacional. O Brasil tem uma diversidade incrível, mas o fluxo turístico hoje está concentrado em poucos destinos”, comentou o diretor executivo da Abeta, Luiz Del Vigna, sobre a escolha do destino-sede desta edição do congresso. “Entendemos que uma boa política pública passa pelo desenvolvimento dos polos regionais e uma das nossas diretrizes é interiorizar o país. No ano passado, celebramos os 200 anos de independência do Brasil em São Paulo e agora viemos para uma pequena vila no alto da cordilheira do Espinhaço, trazendo o mercado profissional para mais um desses milhares de destinos do Brasil que não são conhecidos do mercado”, destacou Del Vigna.

Além de nomes como o dinamarquês Peter Kronstrøm, diretor do Horizons Institute e fundador do Future Lounge; do professor Saulo Rodrigues Pereira Filho, coordenador da Gerência de Sustentabilidade e Ações Climáticas da Embratur, e do alpinista Rodrigo Raineri, primeiro brasileiro a escalar três vezes o Monte Everest, o evento recebeu representantes dos Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente, do Sebrae e de outras organizações. Entre os principais assuntos debatidos estiveram os caminhos possíveis para evitar os impactos negativos do turismo no meio ambiente e as soluções para mudanças positivas. “Estamos cientes de que a forma como se faz turismo hoje precisa se reformular em função das mudanças climáticas. A indústria turística precisa tomar consciência de sua parcela de impacto na crise climática. Por isso, recebemos especialistas no assunto justamente para entender o que precisamos fazer daqui para frente”, afirmou Del Vigna. 

Ecoturismo brasileiro

O Abeta Summit 2023 sediou a 3ª edição da Exposição de Destinos (Re) Descobrindo o Brasil, espaço que apresentou atrações naturais e lugares pouco conhecidos do grande público. No local, foi possível experimentar simuladores de atividades de aventura, como a Tirolesa de Bike, no estande da empresa Natural Extremo, de Santa Catarina, e o voo de parapente no Pico da Ibituruna, no estande no município de Governador Valadares (MG), além de conhecer roteiros ecoturísticos de todas as regiões do país. “O Abeta Summit abre tanto um leque de oportunidades de interagir com os grandes nomes do setor como de possibilidades de reflexões sobre temas relevantes para o desenvolvimento ecoturístico do Brasil”, avaliou a especialista e consultora em ecoturismo e turismo de aventura Polly Pugas, que há 15 anos participa do congresso. “É uma grande oportunidade de poder compartilhar dos mesmos sonhos e das mesmas perspectivas de ter um turismo de natureza mais inclusivo, sustentável e seguro no país”, completou Polly, que também se apresentou no painel Mulheres, Negócios e Natureza.

Professor Saulo falou sobre o papel do turismo na preservação ambiental

Professor falou sobre o papel do turismo na preservação ambiental durante o Abeta Summit 2023, congresso realizado em Grão Mogol, no norte de Minas Gerais

O turismo é um agente fundamental no enfrentamento da crise climática, destacou o gerente de Sustentabilidade e Ações Climáticas da Embratur, professor Saulo Rodrigues Filho, durante sua participação no Abeta Summit 2023 – 20ª Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura, que neste ano ocorre na cidade de Grão Mogol, na Cordilheira do Espinhaço, em Minas Gerais. “A crise climática precisa ser enfrentada de forma urgente, organizada, planejada, com metas claras de redução de emissão de gás carbonônico”, destacou o pesquisador durante palestra realizada na tarde desta quinta-feira (26).

Hoje, o turismo representa cerca de 10% do PIB global e emite cerca de 5% a 6% de gases de efeito estufa, sendo que 3% desse total está relacionado à queima de combustível da aviação. No Brasil, apontou Rodrigues, o setor corresponde de 7% a 8% do PIB e é responsável por 4% a 5% das emissões de gases na atmosfera. “Se não tomarmos medidas urgentes de descarbonização teremos um futuro sombrio, com desastres ambientais de origem climática cada vez mais intensos, trazendo perdas de vidas e danos às atividades econômicas”, alertou.

Como medidas possíveis para a mitigação desses poluentes, o professor citou a importância do fomento a projetos de compensação de pegada de carbono, ação que já vem sendo adotada pela Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo. “A gente tem que fazer uma transição energética nos próximos sete anos muito acelerada, e o turismo precisa fazer parte disso. Já existem ações muito simples, que podem ser adotadas até mesmo pelas empresas de pequeno porte e vão representar mais receita, vão atrair mais visitantes sensíveis à questão do clima”, destacou.

Rodrigues apresentou, ainda, um panorama geral dos acordos climáticos mundiais feitos nas últimas três décadas, começando com a Rio 92 – Conferência da Cúpula das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. “Mas, desde então, os países do Hemisfério Sul vem sofrendo muito mais com danos do que os do Norte”, disse o professor ao abordar a questão da justiça climática. “Juntando as emissões de Estados Unidos, Europa e China, temos 70% de todas as emissões históricas provocadas pela humanidade. Esses países estão produzindo efeitos materializados em eventos extremos que se manifestam com muito mais intensidade no Hemisfério Sul, nos países tropicais e subtropicais”, frisou.

O professor também falou sobre o Protocolo de Kyoto, tratado de 1997 que firmava o compromisso de redução de 5% de emissões de gases de efeito estufa até o ano de 2012 nos países industrializados. Mas o resultado global nesse período foi um aumento de 50% nas emissões. “Isso foi corrigido com o acordo de Paris de 2015, que envolveu países com metas voluntárias”, observou. A partir da convenção na França, conforme Rodrigues, os países passaram a reconhecer a importância da questão ambiental para o mercado, seguindo uma lógica econômica. Desde então, empresas dos mais diversos segmentos vêm montando estratégias dentro das premissas ESG. “Esse movimento não tem volta”, disse.

Alerta máximo

Rodrigues reforçou o alerta de que o efeito estufa tem se intensificado e que a previsão é de que a temperatura média da Terra aumente 1,5ºC. “E esse 1,5ºC é a zona de segurança daqui para o futuro. Um aumento maior do que isso pode levar a efeitos catastróficos, que serão antieconômicos, desumanos, injustos, insuportáveis. Não tem outro caminho, a crise climática veio para ficar e está sobre a nossa mesa. A gente tem que dar um jeito de enfrentar isso”, afirmou.

O professor mencionou ainda a Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (COP 28), que será realizada em Dubai neste ano, onde será apresentada uma proposta de fundo de perdas e danos, indicando os países elegíveis por serem mais impactados pelas mudanças climáticas. Em sua fala, Rodrigues reforçou também a importância de ações integradas em poder público, iniciativa privada e sociedade civil, cobrando a necessidade de investimentos em ações de prevenção. “Precisamos avançar nessa arquitetura de governança. A ciência ainda não dá conta de prever onde eventos extremos vão ocorrer. Por isso, é preciso trabalhar numa gestão de prevenção de risco”, completou.

Abeta Summit 2023

O lugar escolhido para a edição deste ano do Abeta Summit foi a cidade de Grão Mogol, na Cordilheira do Espinhaço, a maior cadeia de montanhas do país (a segunda maior da América Latina) e patrimônio reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera. Durante os quatro dias do evento, que começou na quarta-feira (25), representantes do governo, empresários, especialistas do setor e viajantes falarão sobre perspectivas para o futuro do turismo de natureza do Brasil, destacando roteiros fora dos grandes centros e projetos turísticos que atuam para a transformação econômica e social do país. Também estão na pauta a redução das emissões de carbono, a preservação dos geoparques brasileiros e o uso de inteligência artificial no turismo.

Ao todo, serão mais de 52 horas de conversas, oficinas e mesas de negócios, além de espaço para apreciar a gastronomia local e visitas guiadas aos principais pontos da região, como o município de Botumirim, internacionalmente conhecido pela observação de pássaros, por ser o único lugar no mundo onde se pode avistar a rara espécie rolinha-do-planalto.

O Abeta Summit 2023 também sedia a 3ª edição da Exposição de Destinos (Re) Descobrindo o Brasil, espaço que apresenta atrações naturais e lugares ainda pouco conhecidos. No local, é possível experimentar simuladores de atividades de aventura, como a Tirolesa de Bike, no estande da empresa Natural Extremo, de Santa Catarina, e o voo de parapente no Pico da Ibituruna, no estande no município de Governador Valadares (MG), além de conhecer roteiros ecoturísticos de todas as regiões do país.

Sobre a Abeta

Criada em 2004, a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) é uma organização sem fins lucrativos que reúne empresas e profissionais comprometidos com a prática sustentável de atividades ao ar livre. Atualmente, são mais de 120 empresas com sedes em 20 Estados e no Distrito Federal e que fortalecem o mercado de turismo, ecoturismo e turismo de aventura. Os associados Abeta estão presentes em diferentes regiões do Brasil e atuam com atividades como arvorismo, escalada, mergulho, balonismo e canoagem. Dentro do seu escopo de atuação, a Abeta possui um calendário de eventos e projetos, tornando-se referência nacional em capacitação, qualificação e treinamento em turismo, ecoturismo e turismo de aventura. Dentre os destaques quando o assunto são eventos voltados aos profissionais do setor, estão o Abeta Conecta e o Abeta Summit, que a cada ano ocorrem em cidades diferentes, como forma de reforçar a riqueza natural do país para o turismo.

Rodrigo Raineri: “A beleza é trabalhar o turismo regional”

Alpinista abriu programação desta quinta-feira do Abeta Summit 2023, congresso sobre o futuro do setor turístico no Brasil, que ocorre no norte de Minas

Técnica, perseverança e empatia não só conduzem o alpinista Rodrigo Raineri em seus desafios pelos quatro cantos do mundo como são questões essenciais para o desenvolvimento do turismo brasileiro. À frente do projeto de tecnologia Destinos Inteligentes, Raineri abriu a programação do Abeta Summit 2023 nesta quinta-feira (26) com a palestra “Grandes Jornadas”, no Auditório Espinhaço, na Escola Técnica de Educação Profissional de Grão Mogol, no norte de Minas Gerais, onde ocorre até sábado (28) a 20ª edição do Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura. O evento é considerado o principal encontro nacional do segmento.

Primeiro brasileiro a subir três vezes com sucesso o Monte Everest e a guiar expedições aos 7 Cumes, projeto que abrange escalar as mais altas montanhas de cada continente, Raineri compartilhou com o público histórias e lições do alpinismo. “Não é só chegar ao topo que interessa. A trajetória e os relacionamentos que fizemos pelo caminho são muito importantes. Quando você se amarra em uma corda para escalar uma montanha, seu parceiro está segurando a outra ponta. Você coloca sua vida na mão do seu parceiro”, destacou, enfatizando a necessidade de união também no desenvolvimento do setor turístico no Brasil. “Tem que ter treinamento comportamental, de emergência e técnico. É fundamental trabalharmos juntos, padronizar procedimentos. Tem que ser obcecado por análise e avaliação de riscos. E nisso temos uma vantagem, pois o Brasil é referência mundial em certificações de segurança para o turismo de aventura”, disse.

Em meio a vídeos de momentos de suas jornadas pelo mundo, Raineri falou sobre superação e paixão para encarar os desafios. “Tem que ter entrega, planejamento, perseverança, empatia, treinamento e ousadia, pensar grande para achar soluções”, afirmou. O alpinista também se emocionou ao falar de seu parceiro de montanhismo Vitor Negrete, que morreu em 2006 quando escalavam o Monte Everest. “Foi muito difícil, pensei em largar o alpinismo”, contou.

Reforçando o tema do Abeta Summit 2023, “(Re) Descobrindo o Brasil, novos destinos, novas oportunidades”, Raineri falou sobre a plataforma Destinos Inteligentes, criada para o desenvolvimento de pólos de turismo ainda pouco conhecidos no país. “A beleza é trabalhar o turismo regional. Com a plataforma, é possível reunir toda a oferta de cada local, guias, atrativos, artesãos. É uma forma de consolidar a informação sobre a região e torná-la referência. Movimenta o turismo local e permite que muitos profissionais saiam da informalidade”, avaliou.

No encerramento de sua palestra, Raineri cobrou o envolvimento e a união de agentes públicos e da iniciativa privada para revolucionar o turismo de natureza do Brasil, sem deixar de lado o cuidado com o meio ambiente. “O nosso planeta está passando por um momento difícil. Existe um ponto de não retorno e alguns estudiosos dizem que estamos chegando lá”, completou.

Abeta Summit 2023

O lugar escolhido para a edição deste ano do Abeta Summit foi a cidade de Grão Mogol, na Cordilheira do Espinhaço, a maior cadeia de montanhas do país (a segunda maior da América Latina) e patrimônio reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera. Durante os quatro dias do evento, que começou na quarta-feira (25), representantes do governo, empresários, especialistas do setor e viajantes falarão sobre perspectivas para o futuro do turismo de natureza do Brasil, destacando roteiros fora dos grandes centros e projetos turísticos que atuam para a transformação econômica e social do país. Também estão na pauta a redução das emissões de carbono, a preservação dos geoparques brasileiros e o uso de inteligência artificial no turismo.

Ao todo, serão mais de 52 horas de conversas, oficinas e mesas de negócios, além de espaço para apreciar a gastronomia local e visitas guiadas aos principais pontos da região, como o município de Botumirim, internacionalmente conhecido pela observação de pássaros, por ser o único lugar no mundo onde se pode avistar a rara espécie rolinha-do-planalto.

Abeta Summit 2023 também sedia a 3ª edição da Exposição de Destinos (Re) Descobrindo o Brasil, espaço que apresenta atrações naturais e lugares ainda pouco conhecidos. No local, é possível experimentar simuladores de atividades de aventura, como a Tirolesa de Bike, no estande da empresa Natural Extremo, de Santa Catarina, e o voo de parapente no Pico da Ibituruna, no estande no município de Governador Valadares (MG), além de conhecer roteiros ecoturísticos de todas as regiões do país.

Sobre a Abeta

Criada em 2004, a Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) é uma organização sem fins lucrativos que reúne empresas e profissionais comprometidos com a prática sustentável de atividades ao ar livre. Atualmente, são mais de 120 empresas com sedes em 20 Estados e no Distrito Federal e que fortalecem o mercado de turismo, ecoturismo e turismo de aventura. Os associados Abeta estão presentes em diferentes regiões do Brasil e atuam com atividades como arvorismo, escalada, mergulho, balonismo e canoagem. Dentro do seu escopo de atuação, a Abeta possui um calendário de eventos e projetos, tornando-se referência nacional em capacitação, qualificação e treinamento em turismo, ecoturismo e turismo de aventura. Dentre os destaques quando o assunto são eventos voltados aos profissionais do setor, estão o Abeta Conecta e o Abeta Summit, que a cada ano ocorrem em cidades diferentes, como forma de reforçar a riqueza natural do país para o turismo.

Abeta Summit 2023 debate perspectivas para o futuro do turismo de natureza

O Brasil precisa se conhecer! A valorização das paisagens naturais do país, sua história e cultura estará no centro dos debates do Abeta Summit 2023 – 20º Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura, que ocorre de 25 a 28 de outubro, no município de Grão Mogol, na Cordilheira do Espinhaço, em Minas Gerais. Considerado o principal encontro da cadeia produtiva do turismo de natureza no Brasil, o evento reunirá operadores e consultores especializados, fornecedores de serviços e equipamentos, empresários, acadêmicos, consultores, gestores públicos e viajantes para falar sobre o tema “Redescobrindo o Brasil, novos destinos, novas oportunidades”, destacando projetos turísticos que atuam para a transformação econômica e social do país.

Serão mais de 52 horas de conversas, oficinas, mesas de negócios e mais de 70 palestrantes convidados, além de espaço para apreciar a gastronomia local, que une traços da culinária mineira e baiana. Estão confirmados os painéis sobre os futuros cenários possíveis para o turismo de natureza no Brasil, com o dinamarquês Peter Kronstrøm, diretor do Horizons Institute e fundador do Future Lounge; sobre os desafios para a redução das emissões de carbono, com o professor Saulo Rodrigues Pereira Filho; sobre geoparques brasileiros, com Janaína de Medeiros e Fabiano da Silva, e sobre inteligência artificial no turismo, com Vinícius Viegas e Fernando Alves. O evento também receberá representantes dos Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente, do Sebrae e de outros órgãos governamentais para falar sobre as perspectivas para o turismo brasileiro de natureza.

Entre outras atrações, o Abeta Summit 2023 sediará a 3ª edição da Exposição de Destinos (Re) Descobrindo o Brasil – espaço que apresenta atrações naturais e lugares pouco conhecidos do turismo. “É preciso descobrir lugares, pessoas e oportunidades para o desenvolvimento de negócios inovadores, baseados em produtos sustentáveis, seguros e responsáveis, para com o ambiente natural, com a cultura e com a sociedade”, destaca Luiz Del Vigna, diretor executivo da Abeta. Nas oficinas, serão abordados temas como diversidade e acessibilidade no turismo, a importância e influência dos povos originários no turismo, educação, turismo na maturidade e presença feminina no turismo.

Durante o congresso, ocorrerá, ainda, a entrega do Prêmio Abeta Brasil Natural, que contempla os destaques, entre os associados, em Sustentabilidade, Inovação e Segurança dentro do segmento de turismo de natureza no Brasil. A partir deste ano, a premiação incluirá também a categoria Acessibilidade. A programação completa do evento est disponível em abetasummit.com.br

Temas do Abeta Summit 2023 Grandes Jornadas, com Rodrigo Raineri O país precisa se conhecer, com Luiz Del Vigna O turismo precisa se planejar, com Jaime Prado Perspectivas para o turismo brasileiro de natureza, com representantes do Ministério do Turismo; Ministério do Meio Ambiente e Polo de Ecoturismo do Sebrae MS Turismo, clima e biodiversidade, com o professor Saulo Rodrigues Pereira Filho. Horizontes do Futuro, com Peter Kronstrom Regionalização do turismo brasileiro, com Alessandra Rosa e Patrícia Assis Geoparques brasileiros, com Janaína de Medeiros e Fabiano da Silva Como viajar leve e com pouco dinheiro, com Wallace Soares Inteligência Artificial aplicada ao turismo, com Vinícius Viegas e Fernando Alves Caminhando o turismo de natureza vai longe, com Jorge Junior Parques naturais do Brasil, negócios e oportunidades, com Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais, Instituto de Águas e Terras do Paraná, Fundação Floresta de São Paulo, concessionários de serviços em UCs e Instituto Semeia Turismo e o Poder Legislativo, com parlamentares das esferas municipais, estaduais e federal Gestão e certificação em turismo de natureza, com Edmundo Dinelli; Edner Brasil, Raquel Muller e Evandro Schutz. Coleta e análise de dados digitais em Turismo, com Graziele Vilela 60+ Turismo da maturidade, com Ana Melo, Jaqueline Franco e José Fernandes Franco. A importância da comunicação responsável para o turismo sustentável, com Daniel Nunes Construções biofílicas, com Thaynara Siqueira Sistema de Gestão da Segurança para iniciantes, com Marius Audry e Henrique Baumgartner O papel dos condutores na produção de experiências turísticas, com Carlos Ornellas Povos Originais, comunidades tradicionais e a ancestralidade, com Erika Fernandes Pinto Aprendendo na natureza, com Adroaldo Sturmer e Clarisse Hendges Mulheres, Negócios e Natureza, com Pollyana Pugas, Leda Malyzs e Teriana Selbach

Confira aqui a Programação do Abeta Summit

Sobre a ABETA

Desde 2004, o ecoturismo brasileiro conta com uma organização que aposta na riqueza natural do país para o turismo. A Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) é uma organização sem fins lucrativos que reúne empresas e profissionais associados e que estão comprometidos com a prática sustentável de atividades ao ar livre. Atualmente, são mais de 120 empresas com sedes em 19 Estados e no Distrito Federal e que fortalecem o mercado de turismo, ecoturismo e turismo de aventura. Os associados Abeta estão presentes em diferentes regiões do Brasil e atuam com atividades como arvorismo, escalada, mergulho, balonismo, canoagem e muito mais. Dentro do seu escopo de atuação, a Abeta possui um calendário de eventos e projetos, tornando-se referência nacional em capacitação, qualificação e treinamento em turismo, ecoturismo e turismo de aventura. Dentre os destaques quando o assunto são eventos voltados aos profissionais do setor, estão o Abeta Conecta e o Abeta Summit.

Abeta Summit anuncia cidade-sede deste ano

Abeta Summit 2023 ocorrerá de 25 e 28 de outubro em Grão Mogol, na Cordilheira do Espinhaço, em Minas Gerais

A edição 2023 do principal encontro da cadeia produtiva do turismo de natureza no Brasil já tem data e local: o Abeta Summit – XX Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura ocorrerá de 25 a 28 de outubro, no município de Grão Mogol, no interior de Minas Gerais. Neste ano, o destino anfitrião é a Cordilheira do Espinhaço, a maior cadeia de montanhas do país, patrimônio reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera. A região também está na rota internacional da prática de observação de pássaros, especialmente a cidade de Botumirim. O local é o único no mundo onde se pode avistar a espécie rolinha-do-planalto.

Cordilheira do Espinhaço – Foto: Evandro Rodney

A preservação dos ambientes naturais e culturais do Brasil será o grande mote desta edição, que irá destacar projetos turísticos de transformação econômica e social. O Abeta Summit é realizado anualmente pela Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), sempre em um município diferente, buscando valorizar cidades e atrações de todo o país. O evento é um dos mais importantes fóruns de discussões do setor, reunindo empresários, gestores públicos, consultores, acadêmicos, ativistas, jornalistas, guias e condutores. 

Destinado a amantes do ecoturismo e do turismo de aventura, o Abeta Summit 2023 contará, entre outras atrações, com a 3ª Exposição de Destinos (Re)Descobrindo o Brasil – feira que apresenta atrações e lugares pouco conhecidos do público em geral, além de cursos e serviços voltados para turismo de natureza. Durante o evento, ocorrerá também mais uma edição do Prêmio Abeta Brasil Natural, que contempla os destaques em Sustentabilidade, Inovação e Segurança dentro do segmento de turismo de natureza no Brasil. A partir deste ano, a premiação incluirá a categoria Acessibilidade. A programação completa do evento será anunciada em breve.